Como faturar com ecommerce para farmácias

Por Marketing
17 de junho de 2021

O ecommerce para farmácias é um negócio muito promissor.

Com a internet, empresas de vários segmentos mudaram a forma de se comunicar e também de vender seus produtos.

Com as farmácias não foi diferente.

Afinal, o crescimento do mercado digital beneficiou a venda online de medicamentos isentos de prescrição e aumentou consideravelmente a procura por itens de higiene e perfumaria nos últimos tempos.

Portanto, investir em comércio eletrônico é uma estratégia indispensável para conquistar mais clientes e aumentar o faturamento da empresa.

Entretanto, esse é um mercado que deve seguir algumas regulamentações sanitárias. Acompanhe este artigo e veja tudo o que você precisa saber antes de investir neste setor.

Vantagens do ecommerce para farmácias

O comércio eletrônico é uma modalidade que beneficia todos os segmentos de mercado.

Além de proporcionar uma experiência positiva para o consumidor, ele gera muitos outros benefícios.

Confira a seguir as vantagens que o ecommerce para farmácias pode proporcionar:

  • Mais comodidade para os clientes comprarem medicamentos sem prescrição e outros produtos de forma rápida e a qualquer hora;
  • A farmácia pode se basear no histórico de pedidos para oferecer uma compra personalizada;
  • A loja virtual possibilita a inclusão de informações completas sobre os remédios, bem como posologia, efeitos colaterais, etc.
  • Os produtos ficam bem organizados para que o público visualize e encontre facilmente aquilo que precisa;
  • O cliente tem mais discrição na hora de comprar.
  • Acesso a dados que permitem medir o desempenho das operações

Conforme você deve ter notado, as vantagens se aplicam tanto à farmácia, quanto aos consumidores.

Agora, veja como funciona um comércio eletrônico para farmácias.

Ecommerce para farmácias - Estrutura

Estrutura de uma farmácia online

Como dissemos antes, uma farmácia ou drogaria não comercializa apenas medicamentos, mas também uma série de outros itens, como produtos para maquiagem, higiene pessoal, cosméticos e outros.

Desse modo, é necessário fazer um planejamento logístico e de estoque.

Além disso, a estrutura de uma farmácia online também conta com profissionais de diversas áreas, como marketing, atendimento ao cliente e várias outras.

Vale lembrar ainda que essas categorias de produtos não se enquadram nas regras da Anvisa, o que facilita a comercialização.

Em outras palavras, são produtos que podem elevar o ticket médio das vendas, gerando mais rentabilidade.

O que você precisa saber antes de investir em um ecommerce para farmácias

A princípio, antes de abrir uma farmácia virtual ou migrar o seu negócio farmacêutico para a internet, há algumas informações que você deve saber.

Elas são fundamentais para o sucesso da operação.

Veja a seguir!

Qual é o seu público?

Nem sempre a pessoa que compra na internet é a mesma da loja física.

Logo, é necessário conhecer bem o público da sua farmácia.

Para isso, é fundamental traçar estratégia orientada a dados.

Ou seja, com base em dados e informações relevantes de consumo.

Você precisa ter/manter a loja física

Como já adiantamos, a Anvisa só permite a venda online de medicamentos que dispensam a receita médica.

Então, você só poderá comercializar remédios controlados e antibióticos na loja física.

Isso significa que, mesmo com o ecommerce, se você quiser ampliar o faturamento, a saída é manter as duas modalidades.

Além disso, a loja virtual para farmácia precisa disponibilizar um farmacêutico online, 24 horas por dia, para tirar as dúvidas dos clientes.

Ecommerce para farmácias: documentação obrigatória

Você sabia que a “home” da farmácia virtual deve apresentar alguns documentos e informações que comprovem a credibilidade da empresa?

Pois é. Confira abaixo a documentação exigida:

  • alvará sanitário de funcionamento;
  • autorização da Anvisa;
  • CNPJ;
  • endereço da farmácia física;
  • telefone e horário de funcionamento em lugar visível na home;
  • número de inscrição do farmacêutico no conselho de classe;
  • razão social da farmácia;
  • nome fantasia.

É proibida a publicidade de remédios controlados

Ainda de acordo com as normas da Anvisa, é proibida a  veiculação publicitária de medicamentos que precisam de prescrição.

Além disso, também não é permitida a menção dos nomes dos remédios que dispensam receita.

Portanto, é essencial fornecer ao consumidor o máximo de informações sobre o medicamento no site da loja virtual.

Condições de armazenamento

A Anvisa também determina os cuidados no armazenamento  e na distribuição dos medicamentos.

Eles devem ser armazenados na temperatura correta, em local limpo.

Tenha uma boa plataforma de ecommerce para farmácias

Por fim, também é indispensável ter uma boa plataforma de loja virtual para farmácia.

Ou seja, ela deve ser responsiva e intuitiva. Enfim, desenvolvida para propiciar ao usuário a melhor experiência possível.

Mas, não é só isso. Você também deve se preocupar com a política de privacidade do ecommerce. Assim, você será reconhecido como uma empresa confiável.

Concluindo, este é um segmento que possui algumas particularidades e restrições. Mas, cumprindo a legislação e elaborando boas estratégias, seu negócio virtual tem tudo para dar certo.

Para garantir o sucesso do seu ecommerce para farmácias em apenas 5 passos, conheça a Metodologia Kasterweb.

Sim, quero conhecer!

Responder

Seu email não será publicado.

*
*